Dra. Zilda Arns, a maior liderança da história brasileira?

Caros colegas, tenho realizado as Oficinas de Gestão e Liderança nos diversos câmpus do IFSC.  Tenho ficado surpreso com o desconhecimento do trabalho da Dra. Zilda Arns.

Fico tentado a dizer que, na minha humilde compreensão do que significa LIDERANÇA, Dra. Zilda Arns é uma das maiores lideranças da história brasileira, talvez a maior.

Explico: Em diversos livros, a definição mais comum de liderança é: HABILIDADE DE INFLUENCIAR E INSPIRAR PESSOAS.

Há décadas os especialistas no assunto estudam, sem uma conclusão definitiva, padrões de liderança e características dos líderes.  O que é consenso é que um líder não precisa ocupar um cargo. Sabemos que Dra. Zilda Arns foi uma grande líder no combate à desnutrição infantil. Sua liderança junto à Pastoral da Criança salvou a vida de milhares de crianças, talvez milhões em todos os 19 países onde a Pastoral atua. Seu perfil de liderança se baseava na autoridade moral de sua causa e na sua conduta ética. A Pastoral conta com mais de 300 mil voluntárias. E eles continuam trabalhando mesmo após seu desaparecimento. Dra Zilda Arns, deu sua vida a essa causa, morrendo de forma trágica no início de 2010 em um terremoto no Haiti (13 de janeiro), quando disseminava suas idéias.

Dra. Zilda Arns não exercia liderança porque ocupava um cargo político ou público. Ao invés de ficar reclamando dos governos ela trabalhou por décadas de forma silenciosa, com humildade e paciência, conscientizando outras pessoas sobre a importância de se combater a desnutrição infantil.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Zilda_Arns

http://www.youtube.com/watch?v=oDaRyT4XG9U

http://www.empregoerenda.com.br/editorias/dicas-da-edicao/730-ensinar-e-liderar-como-zilda-arns

Atenciosamente,

Jesué Graciliano da Silva

Publicado em Sem categoria

Oficinas de Liderança e Gestão no IFSC

Caros colegas e estudantes, estamos iniciando a oferta de Oficinas de Liderança e Gestão.

O objetivo é a troca de idéias sobre boas práticas de gestão, principalmente com os servidores mais novos. Em breve serão esses servidores que ocuparão os principais postos de liderança do IFSC.

O material que utilizaremos é o livro digital: LIDERANÇA ÉTICA E SERVIDORA  disponível no blog: http://liderancaeticaeservidora.wordpress.com

No livro digital mostramos exemplos de que a liderança pressupõe SERVIR.

No primeiro encontro presencial faremos a sensibilização sobre a importância das lideranças para a instituição e mostraremos como acessar os textos e vídeos disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem – Moodle (EAD). Depois faremos o acompanhamento das atividades via videoconferência, skype e chats do Moodle.

Os temas que abordaremos são:

1- A essência da liderança
2- Como dar e receber feedback
3- Gestão inteligente do tempo
4- Como delegar com eficiência
5- Ética na gestão pública
6- Os colegiados no processo decisório participativo
7- A importância da transparência na gestão
8- O papel da Reitoria e dos Câmpus

Muitas pessoas nunca ocuparam ou ocuparão uma função e no entanto são lideranças positivas e inspiradoras para seus colegas e estudantes. Quanto mais pessoas tiverem conhecimentos básicos sobre gestão e liderança melhor será para o IFSC. As chances da instituição ser governada pelas pessoas mais bem preparadas aumentarão.

Por isso, um dos objetivos desse trabalho é preparar as próximas equipes gestoras. Dentro de alguns anos todos os câmpus terão eleições.

Também poderão participar da parte presencial os alunos líderes de turmas,  membros dos centros acadêmicos e grêmios estudantis. Serão as lideranças do amanhã.

Atenciosamente,

Jesué Graciliano da Silva

Publicado em Sem categoria

Integração e Compartilhamento das boas práticas

Caros colegas, é com muita alegria que compartilhamos o link com as informações do encontro dos Reitores e pró-reitores das instituições públicas de ensino superior de Santa Catarina.

Compreendemos que os assuntos tratados na reunião são extremamente pertinentes: compras conjuntas, SISU (ingresso), royalties do petróleo.  Há ainda possibiblidades de se pensar de forma conjunta em relação à capacitação dos quadros, jornada de trabalho entre outros assuntos. É possível pensar de forma articulada também sobre a abertura de novos campi, de novos cursos e de novos pólos de EAD no estado.  A educação pública de qualidade é que deve estar presente, não importando quem ofereça.

Após a consolidação desse fórum, que já tem nova reunião agendada, a tendência é que todos os Reitores da região sul possam estar articulados em torno de políticas conjuntas. Temos 6 Institutos Federais na região Sul e diversas outras entidades públicas na região.

http://www.ifsc.edu.br/institucional/3121-reitores-se-mobilizam-pelos-royalties-do-petroleo

Temos desafios comuns e por isso precisamos atuar de forma colaborativa para nos tornarmos mais eficientes. O compartilhamento das melhores práticas é a chave para o desenvolvimento conjunto.  Podemos sempre aprender com nossos semelhantes e sempre ensinar alguma coisa. Isso vale para pessoas e vale para instituições com a nossa.

Juntos podemos muito mais !

Atenciosamente,

Jesué Graciliano da Silva

Publicado em Sem categoria

A força da EAD para melhorar a educação presencial no IFSC

Caros colegas, no final de março o IFSC realizará Seminário sobre EAD.  A participação dos servidores docentes e administrativos nessa discussão contribuirá muito para que o modelo de EAD desenvolvido pelo IFSC seja o melhor possível.

Começamos a trabalhar com esse assunto em 1998 quando publicamos na internet algumas aulas das disciplinas de refrigeração e climatização. Na época utilizávamos o editor Adobe Pagemill. O processo de criar links e disponibilizar conteúdo técnico na internet se mostrou interessante e por isso começamos a pensar em criar um curso de qualificação básica (formação continuada) para profissionais que atuam no país sem formação. Na época somente existiam no Brasil pouco menos de 10 cursos técnicos de refrigeração e condicionamento de ar (RAC). Havia muitos cursos rápidos, mas não técnicos de 1200 horas.

Com o objetivo de contribuir com a formação desses profissionais que não tiveram oportunidade de realizar um curso presencial criamos e aprovamos no Colegiado do Campus no ano de 1999 o Curso de Qualificação Básica em RAC.  A idéia original era ofertar o curso pela internet.  Mas aprendemos rapidamente que naquele momento a maioria dos profissionais da área não possuía acesso à internet. Passamos a organizar os conteúdos do curso de RAC em módulos ilustrados. Esse conteúdo tornou-se a base para o livro Introdução à Tecnologia da Refrigeração e da Climatização, que encontra-se hoje na segunda edição.  O curso iniciou apenas com apostilas ilustradas. Bem longe do sonho inicial.

No ano de 2000 elaboramos um projeto para a Fundação VITAE.  Nele criamos uma estrutura para produção de material didático EAD e adquirimos um laboratório móvel totalmente equipado para atingir outras regiões com nossos cursos. A inspiração foi do projeto Ícone, que havia sido muito bem sucedido no campus Florianópolis.  No laboratório LEDIS começamos a produzir conteúdos digitais, videoaulas e novas apostilas. O material didático produzido passou a fazer parte do acervo do curso, sendo as apostilas e vídeos utilizados também por diversos professores nas aulas presenciais.

Essa foi a grande lição que aprendemos com a EAD. O material didático e a forma de se dar aula na EAD ajuda muito no ensino presencial.  Graças a experiência acumulada no primeiro projeto executado em 2002 aprovamos em 2005 outro Projeto Vitae, que teve por objetivo introduzir as novas TICs nas salas de aula. Todas as salas de aula do campus São José possuíam acesso à internet já no ano de 2005.

Em 2006 e 2007 participamos do Projeto InterRed onde começamos a desenvolver atividades que deram origem aos Objetos de Aprendizagem em flash e aos Laboratórios Virtuais.  Temos em nossa página quase uma centena de OA disponíveis para nossos estudantes no Portal wiki. Hoje utilizamos o ambiente virtual Moodle para disponibilizar textos, audios, vídeos e animações que fazem parte de nosso modesto curso de EAD, que temos orgulho de dizer que não começou com o intuito de qualquer retorno financeiro.

Essa história toda é para explicar porque entendemos que o modelo de EAD do IFSC deva ser hibrido. Ou seja, deve haver uma estrutura central (Centro de EAD) vinculada à Reitoria com profissionais altamente qualificados para suporte e produção de aulas em alto nível e estruturas locais em todos os campi, no mesmo modelo que o LEDIS.  Os professores dos campi tendo acesso a um laboratório local de produção poderiam produzir suas aulas sob orientação do Centro de EAD. Essas aulas poderiam ser usadas para complementação das aulas presenciais ou poderiam ser o embrião de futuros cursos EAD.

Em diversos campi há exitosas iniciativas de produção e disponibilização de videoaulas no Portal Youtube. Nossos estudantes também têm produzido interessantes conteúdos.

Todos podem produzir conteúdo digital.  O mais importante hoje não é o equipamento e sim a idéia, o conteúdo. Não adianta utilizar um super equipamento de ultima geração se o vídeo não tiver um conteúdo interessante e se não “rodar” no Youtube com facilidade. Ninguém tem paciência para ficar esperando fazer download atualmente.

Quem não quer “reinventar a roda” pode utilizar tudo o que já existe de bom produzido na Internet. Há milhares de aulas de alto nível prontas para serem utilizadas. Basta saber inserir esse material nos planos de ensino.

Esse é um grande desafio: mudar a forma como ensinamos. Estamos acostumados a aulas expositivas. Já publicamos antes que a tendência é que o espaço da aula seja um momento de mais discussão, mais interação com o professor e de aplicação dos conteúdos estudados em outro espaço (em casa ou na biblioteca). É o que defendem professores consagrados como Salman Khan.  Muitos colegas continuam ministrando suas aulas igual faziam há 20 anos, quando ingressei como professor do IFSC.  Usar com inteligência as novas tecnologias é a revolução da educação que está a caminho. Fácil falar e difícil praticar. Por isso nossa sugestão é que novas metodologias sejam experimentadas em pequenas doses.

Passamos a adotar um conceito simples de EAD com sucesso nas aulas presenciais. Uma aula de 60 minutos pode ser fracionada em 3 partes: 20 minutos para apresentar um resumo do assunto + 20 minutos para que os alunos resolvam um problema em grupo + 20 minutos para correção e discussão.  Os alunos dos cursos noturnos não têm tempo para estudar em casa e por isso essa é uma boa forma de fazê-los participar ativamente da construção do conhecimento. A idéia é parecida com que propõe Salman Khan: redução do tempo de exposição e aumento do tempo de interação. Seus milhares de vídeos seguem essa tendência: São curtos e diretos.

Nessa entrevista é possível aprender um pouco mais sobre as idéias de Khan, o fundador da Khan Academy.

Reportagem sobre educação a distância – Entrevista com Salman Khan

Atenciosamente,

Prof. Jesué Graciliano da Silva

Publicado em Sem categoria

Big Data nos Institutos Federais e o combate à evasão

Caros colegas estudantes e servidores,  no último Conselho Superior do IFSC foi aprovada a restruturação da Pró-Reitoria de Ensino, que passa a contar agora com a Diretoria de Estatísticas e Informações Acadêmicas e com outras duas diretorias:  Diretoria de Desenvolvimento do Ensino e Diretoria de Assuntos Estudantis.

A criação de uma Diretoria de Estatísticas e Informações Acadêmicas é estratégico para o IFSC. Sabemos que se não podemos medir, não podemos melhorar e não podemos comparar. Ter uma Diretoria se ocupando exclusivamente com as estatísticas do IFSC, com profissional estatístico (do próximo concurso) é a garantia de que estaremos utilizando as melhores práticas  para enfrentar o problema da evasão e outros que impedem o sucesso de nossos estudantes.

A evasão é um problema antigo e vem desde o início da implantação da Escola de Aprendizes e Artífices. A comprovação desse fato está no livro do prof. Alcides (da Escola de Aprendizes e Artífices ao IFSC – página 30). Diversas gerações de dirigentes já enfrentaram o mesmo problema, sem aparente sucesso.  Atualmente temos ao nosso lado as novas tecnologias e um quadro de servidores preparado para esse desafio.

Muitos dizem que a evasão é inerente ao processo de ensino-aprendizagem.  Temos a convicção de que uma parte da evasão independe de nossos mais nobres esforços. Mas há uma parte dela que depende de nosso planejamento, da qualidade e didática de nossas aulas, da qualidade de nossos laboratórios, de nosso apoio pedagógico, de nossa interação com o mundo do trabalho, da assistência estudantil e existência de monitoria.

Compreender estatisticamente o que leva um aluno a desistir antes que isso ocorra é nossa pretensão. Temos lido muito sobre o assunto, encontrando trabalhos interessantes nesse sentido. Disponibilizamos alguns textos, teses e artigos no wiki.

http://wiki.sj.ifsc.edu.br/wiki/index.php/Combate_%C3%A0_evas%C3%A3o

Iniciamos uma rica discussão sobre o assunto com alguns colegas do campus São José. Há diversas iniciativas possíveis. Em breve vamos trazer mais detalhes sobre isso.

Mas penso que não devemos reinventar a roda. Devemos conhecer o que já tem sido feito no mundo para combater a evasão e aproveitar as boas práticas. Devemos conhecer quais são as técnicas mais avançadas e colocá-las em prática.

Uma das técnicas que podemos utilizar é chamada de BIG DATA.

BIG DATA é o conjunto de soluções tecnológicas capaz de lidar com dados digitais em volume, variedade e velocidade inéditos até hoje. Na prática, a tecnologia permite analisar qualquer tipo de informação digital em tempo real, sendo fundamental para a tomada de decisões.  Usar o BIG DATA para predição da evasão e para melhorar o desempenho dos alunos já é uma possibilidade viável.

Para conhecer mais:

http://oglobo.globo.com/infograficos/bigdata/

Também recomendamos a leitura de alguns livros importantes que podem ser adaptados para o contexto da educação. Um deles é “O PODER DO HÁBITO”. “Com base na leitura de centenas de artigos acadêmicos, entrevistas com mais de trezentos cientistas e executivos, além de pesquisas realizadas em dezenas de empresas, o repórter investigativo do New York Times Charles Duhigg elabora, em O poder do hábito, um argumento animador: a chave para se exercitar regularmente, perder peso, educar bem os filhos, se tornar uma pessoa mais produtiva, criar empresas revolucionárias e ter sucesso é entender como os hábitos funcionam. Transformá-los pode gerar bilhões e significar a diferença entre fracasso e sucesso, vida e morte.”

http://www.objetiva.com.br/livro_ficha.php?id=1177

Nesse novo semestre que se aproxima é possível a aplicação dessas técnicas. É possível fazer diferente. Mas para isso precisamos conhecer nossos números mais importantes. Bem vinda Diretoria de Estatísticas e Informações Acadêmicas.

Atenciosamente,

Jesué Graciliano da Silva

 

Publicado em Sem categoria

Teoria da abundância na gestão dos Institutos Federais

Caros colegas,  estamos postando a seguir um texto de Hélio Schwartsman da Folha de São Paulo que fala sobre um livro que está causando muita polêmica pela ousadia de propor que em uma geração ou mais o mundo será muito melhor do que pensamos. O livro se chama ABUNDANCE.

Defendemos  a tese de que uma das características de um líder é a sua capacidade de formular uma visão inovadora e com isso entusiasmar suas equipes.

É comum se esperar que uma liderança seja capaz de subir a montanha do conhecimento e a partir de uma compreensão mais ampla dos fatos possa apresentar uma visão de longo alcance e de sucesso.

Em todos os espaços de convivência, há os “pessimistas de plantão” dizendo que tudo vai dar errado.  Os orientais nos ensinaram que o caminho do meio é o mais interessante.  Perceber o copo “meio cheio” é sempre uma boa opção.

Por isso não poderíamos deixar de recomendar que esse livro seja lido por todos aqueles que são interessados em conhecer como os avanços da ciência e tecnologia estão moldando o mundo em que vivemos.  Temos um resumo bem completo para os interessados. Basta solicitar.

Segundo Diamandis e Kotler, autores do livro ABUNDANCE: “Além das tecnologias de comunicação, forças exponenciais também estão agindo sobre outras áreas, incluindo os sistemas de computador e de rede, a inteligência artificial, a robótica, a biotecnologia, a bioinformática, a nanotecnologia, as interfaces entre humanos e máquinas e muito mais. Essas tecnologias logo irão permitir que a maior parte da humanidade tenha acesso àquilo que apenas as pessoas mais ricas têm neste momento.”

Compreender os efeitos dessas transformações na gestão de nossos Institutos Federais é um desafio para todos nós.

 http://laboratoriumbr.wordpress.com/2012/03/07/abundance-o-futuro-pode-ser-melhor-do-que-voce-imagina-2/

http://nytsyn.br.msn.com/negocios/story.aspx?cp-documentid=33640937#page=0

A seguir: Matéria da Folha de São Paulo – Escrita por Hélio Schwartsman

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/66517-abundancia-e-otimismo.shtml

“Abundância e otimismo

SÃO PAULO – Se você leu “Cândido”, de Voltaire, e achou o dr. Pangloss um sujeito muito otimista, é porque não abriu “Abundance”, de Peter Diamandis e Steven Kotler.

Os autores, um milionário com formação em engenharia espacial, genética e medicina e um jornalista científico, dizem com todas as letras que a humanidade está para entrar numa era de superabundância, na qual tecnologias tornarão itens essenciais tão baratos que todos os habitantes da Terra terão acesso a bens e serviços até há pouco ao alcance apenas dos muito ricos. E tudo isso no horizonte de uma geração.

Nosso primeiro impulso é tachar Diamandis e Kotler de malucos e voltar a maldizer os tempos e os costumes. O problema é que eles apresentam argumentos para apoiar sua tese. O ponto central é que a tecnologia tem crescimento exponencial. Hoje, um guerreiro massai com seu smartphone tem acesso a mais informações do que dispunha o presidente dos EUA apenas 15 anos atrás.

Para a dupla, revoluções semelhantes estão para acontecer no acesso a água, alimentos, energia, educação e saúde. No que é provavelmente o aspecto mais interessante do livro, os autores descrevem dezenas de pesquisas, algumas bem adiantadas, que poderão em breve mudar a face do mundo. São coisas como membranas que dessalinizam a água, carne sintetizada em tubos de ensaio, reatores nucleares portáteis e telefones celulares que realizam exames de sangue em seus donos.

Os autores têm até explicação para o fato de não acreditarmos muito nessas promessas. Como fomos programados para ver o mundo como um lugar ameaçador, nutrimos um inescapável pessimismo global, que não nos deixa perceber as revoluções silenciosas de que participamos.

Talvez sim, talvez não. “Abundance” é definitivamente um livro ousado, e mesmo que lhe apliquemos um deságio cético de, vá lá, 80%, ainda sobram coisas surpreendentes.”

Atenciosamente,

Jesué Graciliano da Silva

Publicado em Sem categoria

A necessária internacionalização dos nossos institutos federais e a proficiência em outros idiomas

Caros estudantes e colegas servidores docentes e administrativos, a internacionalização de nossos Institutos Federais é um processo sem volta.

No IF-SC diversas iniciativas bem sucedidas foram realizadas nos últimos anos tais como PROPICIE, Centro de IDIOMAS, Família acolhedora.

Com o lançamento do Programa Ciência Sem Fronteiras pelo Governo Federal, no final de 2011, oportunidades para realização de cursos e estágios no exterior são muitas.

São mais de 100 mil bolsas sendo ofertadas.

Há apenas um grande entrave que podemos resolver: a falta de proficiência de nossos estudantes.

Para resolver esse problema é preciso uma grande mobilização para o estudo de outros idiomas: inglês, espanhol, alemão, francês etc.

Há diversos cursos onlines que podem ser realizados. O MEC está realizando diversos convênios para produção de cursos EAD dentro da rede federal.

Uma iniciativa excelente é o Curso de Inglês online organizado pela CAPES em parceria para o MEC para estudantes de graduação e pós-graduação.

http://www.myenglishonline.com.br/

Segundo o Site do Curso Gratuito:

“O curso My English Online é baseado na ferramenta para ensino de idiomas MyELT, que oferece aos usuários um pacote completo de atividades interativas para o estudo da língua inglesa em qualquer horário e em qualquer lugar.

O usuário terá acesso a livros interativos, leituras graduadas (National Geographic), exercícios de gramática (com correção imediata), dicionários, atividades para prática oral e testes de acompanhamento. Além disso, os materiais podem ser impressos para prática posterior, sem necessidade de consulta ao computador.

O curso é dividido em cinco níveis de aprendizado. Cada nível contém três partes abrangendo atividades com e-Book, vídeo, gramática e leituras. Ao final de cada parte, o usuário deverá fazer um Teste de Progresso como preparação para a Prova Final do nível.

Confira abaixo os níveis oferecidos e clique para obter mais informações:

Nivel 1 — Iniciante (com instruções em Português e componentes bilíngües)
Nivel 2 — Básico
Nivel 3 — Pré-Intermediário
Nivel 4 — Intermediário
Nivel 5 — Avançado (Preparatório para Exames: TOEFL, FCE ou CAE)”

Para concluir, disponibilizamos diversos outros links sobre o assunto.

http://anascatena.blogspot.com.br/2007/01/prepare-se-para-o-toefl.html?m=1

PROJOVEM – curso em vídeo – básico para inicio do aprendizado
http://www.projovemurbano.gov.br/site/imprimir.php?tipo=Conteudos&codigo=54

FLATMATES DA BBC de Londres.
http://www.bbc.co.uk/worldservice/learningenglish/flatmates/archiveepisode.shtml

http://www.cambridge.org/us/esl/venturesadulted/downloads/Ventures_PlacementTest.pdf

Activities for ESL Students

http://www.ego4u.com/en/cram-up/grammar/tenses

http://www.englisch-hilfen.de/en/quiz/english3/index.php
Esperamos que mais e mais estudantes e colegas superem esse desafio pessoal e contribuam para que o IF-SC seja um Instituto mundial onde
culturas diversas possam se encontrar e compartilhar saberes e experiências.

Atenciosamente,

Jesue Graciliano da Silva

Publicado em Sem categoria

Oficinas de Gestão

Caros colegas servidores e estudantes, gostaria de divulgar uma importante iniciativa realizada da UFSC. Trata-se das Oficinas de Gestão – oportunidades de desenvolvimento.

“O programa tem como objetivo oferecer atividades extracurriculares aos estudantes do Departamento de Ciências da Administração. As Oficinas de Gestão traduzem a tradição do CAD/UFSC no desenvolvimento de valores, atitudes, conhecimentos e habilidades técnicas, necessárias ao enfrentamento dos desafios de um novo ordenamento mundial.”

Fonte: Site da UFSC

Vídeos das Oficinas de Gestão

Os vídeos são claros e possibilitam uma boa reflexão sobre temas importantes para a gestão pública.  Vale a pena assistir !

Atenciosamente,

Jesué Graciliano da Silva

 

Publicado em Sem categoria

Entrevista com Bill Gates sobre Educação no Brasil

Caros colegas, estamos disponibilizando interessante entrevista com Bill Gates (Globo News de 03/02/2013) onde ele comenta um pouco sobre a educação no Brasil, nos EUA e na Ásia. Vale a pena !

Vídeo com entrevista completa com Bill Gates

Blog da Fundação Gates:

Carta anual da Fundação Bill Gates

Na entrevista Bill Gates fala da necessidade de acompanhamento do trabalho docente e de permanente avaliação do processo educacional.

“As avaliações são usadas para atribuir a um professor não só uma pontuação, mas também um feedback específico sobre áreas para melhoria e formas de alavancar suas potencialidades. Além da orientação individual, os orientadores e mestres realizam reuniões
semanais em grupo nas quais os professores discutem o trabalho dos alunos e colaboram para expandir suas habilidades. Os professores são elegíveis a aumentos salariais anuais e bônus com base nas observações em sala de aula e nos feitos dos alunos”.

Segundo ele é preciso valorizar o profissional de educação, mas também deve haver um cuidado maior com a capacitação e com a qualidade do trabalho desenvolvido: os docentes precisam saber onde estão indo bem e onde estão falhando (feedback).

Para garantir qualidade e melhorar efetivamente a educação já propomos anteriormente no blog que todo docente deveria ter uma licença para lecionar com prazo de validade determinada.

Após a obtenção da licença (certificado de qualidade), a renovação seria condicionada à comprovação de que o docente foi aprovado em um programa de desenvolvimento docente.

Os docentes certificados receberiam uma bolsa federal de complementação de seu salário. Isso valorizaria o bom docente que poderia investir mais em lazer, em compra de bons livros e em seu desenvolvimento profissional.

Pesquisas mostram que menos de 5% de nossos jovens desejam se tornar professores. Sem valorização efetiva da profissão dificilmente essa estatística será alterada.

Aos 57 anos, o que preocupa Bill Gates, o homem mais rico dos Estados Unidos e o segundo mais rico do mundo, não é dinheiro. Ele decidiu doar tudo em vida, em vez de deixar para os filhos. Em entrevista exclusiva ao Globo News Especial, o fundador da Microsoft conta que a primeira coisa que faz quando acorda é checar como anda o projeto dele para erradicar do mundo a poliomielite, o vírus da paralisia infantil.

 

 

Atenciosamente,

Jesué Graciliano da Silva

 

Publicado em Sem categoria

Programa baseado no livro “The Leader in Me” nas escolas brasileiras

Prezados estudantes e servidores, gostaria de divulgar um programa que pode ser muito importante para o desenvolvimento de novas lideranças dos Institutos Federais: “The Leader in Me”. Esse programa foi inspirado no livro escrito por Stephen R. Covey (autor do Livro: Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes).

Não há ainda uma versão em português do livro. Mas há um site criado pela Fundação Roberto Civita que traz todos os detalhes dele:

http://www.olideremmim.com.br/index.html

Mais de 1000 escolas em todo o mundo já adotaram com sucesso a abordagem proposta no livro. Para mais informações acessem o site:

http://www.theleaderinme.org/

Segundo o site: “O programa teve início em 1999, quando uma escola nos Estados Unidos, a Escola Primária A. B. Combs, na Carolina do Norte, lutava para sobreviver e recebeu um ultimato: ou ela se reinventava, ou ela seria fechada. A diretora da escola, Muriel Summers, convocou professores, pais e líderes da comunidade, inclusive empresários, para lhes perguntar o que eles gostariam que aquela escola ajudasse os seus alunos a aprender. Ela ouviu deles o seguinte:

Liderança

Prestação de Contas

Adaptibilidade a Novas Situações

Iniciativa e Auto-direção

Habilidades Interculturais

Responsabilidade

Solução de Problemas

Comunicação

Criatividade

Trabalho em Equipe

O que ela ouviu de seus interlocutores reflete aquilo em que a maior parte das pessoas acredita: que nossas escolas não devem apenas procurar melhorar sua posição nos testes que seus alunos fazem, mas devem, isto sim, criar condições e oportunidades para que seus alunos desenvolvam seu pleno potencial e sejam bem sucedidos na vida.

Quando Muriel Summers procurava essas respostas, ela participou de um seminário sobre os 7 Hábitos e notou como o desenvolvimento desses hábitos ia basicamente na direção daquilo que seus interlocutores esperavam de sua escola.

Enquanto Muriel Summers, diretora da Escola Primária A. B. Combs, participava daquele seminário, entre homens de negócio e outros líderes, ela ficou imaginando por que as escolas não trabalhavam esses hábitos com seus alunos.

Voltando à escola, Muriel e sua equipe começaram a agir. Escolheram, para a escola, o tema da liderança, e definiram para a escola uma declaração de missão: Desenvolver Líderes, Uma Criança de Cada Vez.

A. B. Combs adotou os 7 Hábitos, não como um currículo, mas como uma filosofia norteadora que estivesse presente em tudo que a escola fizesse, integrando os 7 Hábitos ao currículo, às tradições, ao sistema de ensino e à cultura da escola.

Em 2006 A. B. Combs se tornou a Escola Magneto #1 nos Estados Unidos. Uma “escola magneto” é uma escola capaz de atrair alunos, professores, e gente interessada em ver o que está acontecendo lá.

O modelo criado em A. B. Combs começou a ser aplicado em outras escolas com resultados igualmente positivos.

Em 2008, Dr. Stephen R. Covey, autor de Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes®, publicou um outro livro: The Leader in Me. Esse livro documenta o modelo de liderança implantado, de forma pioneira, por essas escolas e os resultados alcançados, para os alunos, os professores, os demais funcionários, os pais e a comunidade”.  Fonte: http://www.olideremmim.com.br/index.html

Atenciosamente,

Prof. Jesue Graciliano da Silva

 

Publicado em Sem categoria