A importância da INOVAÇÃO

Caros colegas e estudantes, nessa semana assisti no Youtube uma importante palestra do atual Secretário de Ciência e Tecnologia do MCT, Prof. Alvaro Toubes Prata.  Algumas informações apresentadas na palestra chamaram minha atenção e por isso me senti no dever de discorrer sobre elas.

Prof. Prata iniciou sua palestra ressaltando a importância da educação no sentido mais amplo da palavra: Pessoas bem educadas se tornam pessoas mais cultas, críticas, confiantes e com uma visão mais completa da realidade. Essa é a base para que um indivíduo possa oferecer alternativas para melhorar a sociedade. Prof. Prata afirma que quando mudamos algo para melhor estamos inovando e que grandes líderes são aqueles que enxergam realidades diferentes e têm a motivação, a ousadia e a força para mudar essa realidade.

Prof. Prata destacou que não basta ter conhecimento. É preciso também saber implantar uma alternativa inovadora.  Ele lembra que quando Tomas Edison inventou a lâmpada elétrica, as grandes cidades do mundo já eram iluminadas. Convencer os dirigentes de que era preciso substituir toda aquela estrutura já existente por fios e lâmpadas elétricas foi um grande desafio. Um detalhe interessante dessa estória é que o cientista Nikola Tesla teve que ser muito determinado para comprovar que a corrente alternada era mais viável que a corrente continua, lutando dessa vez contra o próprio Tomas Edison.

Prof. Prata lembrou também que 75% do faturamento da Apple são decorrentes de produtos que não existiam há 5 anos tais como o IPHONE e o IPAD. Esse é um padrão recorrente das grandes empresas.  Ele destacou que o Brasil é a sexta economia do mundo, mas que apenas 17% das nossas exportações estão relacionadas a artigos tecnológicos. 46% das nossas exportações estão relacionadas aos recursos naturais (sendo destes, 16%  minério de ferro). O ideal seria o Brasil utilizar o ferro que temos em abundância e produzir mais aço, mais carros e mais aviões. Um detalhe interessante é que o Japão é o terceiro maior produtor mundial de aço, utilizando para isso ferro extráido da reserva brasileira de Carajás na Amazônia.

Segundo ele, o país tem mais de 400 incubadoras e os atuais 30 parques tecnológicos serão 90 dentro de alguns anos.  A decisão do governo federal de aumentar o investimento em Pesquisa e Desenvolvimento para 1,8% do PIB (hoje é 0,6%) até 2014 coloca o país entre as nações que mais investirão em P&D.  O que falta agora é o setor industrial também fazer investimentos nessa área. Com a Lei do Bem já é possível isso ocorrer com dedução do imposto de renda. Boas notícias para o país.

E o que os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia podem fazer para promover a cultura inovadora ?

A rede composta pelos Institutos Federais é atualmente a rede de maior capilaridade no país.  Até 2014, serão mais de 540 campi de irradiação da educação, ciência e tecnologia. Atendemos principalmente o interior do país, onde mais se precisa de desenvolvimento.

Temos a oportunidade de contribuir de forma decisiva para que a cultura da inovação faça parte do dia a dia da sociedade brasileira, criando espaços onde os estudantes possam experimentar mais e transformar criatividade em inovação.

Confiram a palestra do prof. Prata e façam uma reflexão: O que vocês podem fazer para que o Brasil possa ser o PAÍS DA INOVAÇÃO ? Seria um sonho que no futuro, além do país do futebol e do carnaval, pudéssemos ser conhecidos como a nação mais criativa e inovadora do mundo. Pergunto:  por que não?

Clique aqui e assista a Palestra do Prof. Prata no Youtube.

Apresentação prof. Alvaro Prata

Atenciosamente,

Jesué Graciliano da Silva

 

 

 

 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *